HarperCollins
por Don Winslow

“A GUERRA VEIO PARA CASA.
Por mais de quarenta anos, Art Keller esteve na linha de frente de um dos mais longos conflitos dos Estados Unidos: a guerra contra as drogas. Sua obsessão em derrotar um dos maiores chefes do crime do mundo — o padrinho do quartel Sinaloa, Adán Barrera — o deixara ferido, custara a ele as pessoas que amava e destruíra um pedaço de sua alma. Agora, ocupando uma elevada posição no órgão antidrogas americano, Keller descobre que, ao destruir um monstro, acabou criando outros, determinados a trazer ainda mais caos e sofrimento ao seu país.
O legado de Barrera é uma epidemia de heroína por todo os Estados Unidos. Jogando-se de cabeça nesse abismo para impedir ainda mais mortes, Keller se vê cercado de inimigos: pessoas que querem matá-lo, políticos que querem destruí-lo e algo que antes era considerado inimaginável — uma nova administração que trabalha ao lado dos mesmos traficantes que Keller tenta derrubar. A guerra não é apenas com os cartéis, mas com o seu próprio governo. A longa luta enfim ensinou ao agente uma lição importante: quando se trata do tráfico, não há fronteiras.
Com um enredo que vai dos desertos do México a Wall Street, das favelas da Guatemala aos corredores de Washington, Winslow segue uma nova geração de narcotraficantes, policiais, revendedores de drogas na rua e crianças fugindo da violência em busca de uma nova vida em outro país. Uma impactante história de vingança, violência, corrupção e justiça, A fronteira é repleto de cenas inesquecíveis que parecem ter saído das páginas de jornais. Chocante em sua brutalidade, cru em sua humanidade, este é um retrato inabalável dos Estados Unidos de hoje, uma história do — e para — os nossos tempos.”

por W. Bruce Cameron

“Depois de tantas vidas Bailey tem certeza de uma coisa: cachorros bonzinhos como ele vão para o Céu. Porém, antes que possa ter seu merecido descanso, esse cão de lealdade infinita recebe um pedido de seus antigos donos: ajudar uma família que precisa desesperadamente do amor de um cachorro para continuar unida. Bailey sabe que, se deixar o Paraíso para trás, as memórias que tem de seus entes queridos serão apagadas — mas qualquer sacrifício é pequeno demais para auxiliar aqueles que precisam. Cumprindo como sempre sua promessa de tentar ser omelhor cão do mundo, Bailey parte em uma nova aventura.
Agora, Bailey é Cooper, um cachorro grande e brincalhão que é adotado por Burke, um menino paraplégico que o treina para ser um cão de assistência. Apesar dos sucessos nessa empreitada, Cooper ainda precisa lidar com os obstáculos encontrados pelo restante da família, como o fato de a mãe de Burke tê-los abandonado, a rebeldia cada vez maior de Grant, irmão mais velho de seu dono, e a dificuldade de Chase, pai dos dois, para manter a fazenda funcionando, sobretudo com as ameaças de uma empresa agrícola que deseja obter todas as terras da região. Dessa vez, porém, o cachorro não estará sozinho, pois Lacey, uma nova amiga, vai lhe fazer companhia durante sua trajetória.
Esse cachorro cativante e sábio traz alegria, risadas e conforto à medida em que reconcilia uma família fragmentada pelos inevitáveis problemas da vida e encoraja seus donos a buscarem o amor. A promessa de um amigo continua a jornada de Bailey, iniciada em Quatro vidas de um cachorro e Juntos para sempre — ambos adaptados com incrível sucesso para os cinemas —, e é mais uma história do autor best-seller W. Bruce Cameron, que nos mostra o papel fundamental que os cachorros têm em nossas vidas.”

por Kamal Ravikant

“Quase não publiquei Ame a si mesmo: sua vida depende disso. Lá estava eu, um CEO arrasado após a falência da minha empresa, escrevendo sobre como me salvei depois que comecei a me amar. Pensei que eu seria motivo de piada e que a minha carreira chegaria ao fim, mas enfrentei esses medos e compartilhei a verdade que descobri com o mundo. O que aconteceu em seguida mudou a minha vida. O livro autopublicado viralizou. Pessoas incríveis de todos os lugares compraram exemplares e os deram a amigos e familiares. Para alguns, Ame a si mesmo foi uma salvação. Para outros, foi o caminho em direção ao amor-próprio pela primeira vez na vida.
Em dezembro de 2011, dei uma palestra para um grupo de cientistas, oficiais do Pentágono, políticos e CEOs sobre o segredo da vida e como eu o descobrira havia pouco tempo. Depois do meu discurso, pessoas vieram me dizer o quão impactante aquilo que eu compartilhara tinha sido para elas. Este livro é baseado na verdade sobre a qual falei. É algo que aprendi sobre mim mesmo e que, acredito, me salvou.
Essa é uma coleção de reflexões sobre o meu aprendizado, o que funcionou ou não, quando tive sucessos ou, tão importante quanto, os momentos em que fracassei. A verdade é que você deve amar a si mesmo com a mesma intensidade com que se seguraria se estivesse dependurado em um precipício, com apenas a força dos dedos o impedindo de cair — ou seja, como se a sua vida dependesse disso.”

por Cynthia Hand

“Cassandra McMurtrey tem os melhores pais que uma garota poderia querer. Eles deram a Cass uma vida que a jovem não trocaria por nada neste mundo. Ela tem tudo de que precisa — exceto, talvez, o que mais deseja: saber quem é e de onde veio. E, não importa o quanto a amem, estas são questões que seus pais adotivos não podem responder.
Motivadas pelo desejo de conhecer suas origens, Cass inicia uma busca para encontrar a mãe biológica. Mas tudo que ela tem são cartas escritas dezoito anos antes e assinadas apenas como “S”. Através desses textos, ela precisa achar pistas sobre a aparência, a família, o endereço e a personalidade da mulher que lhe entregou para a adoção. No entanto, isso também traz à tona novas perguntas e preocupações. Afinal, ela deve investigar seu passado tão profundamente? Como seus pais vão reagir quando souberem o que ela está fazendo? Sua mãe biológica quer mesmo ser encontrada?
Além de tudo, Cass ainda precisa lidar com as dificuldades enfrentadas por qualquer adolescente, como a escolha da faculdade e o surgimento de um novo amor. E a pressão que sofre do pai para se matricular na mesma faculdade que ele cursou, a inveja que sente da melhor amiga quando ela ganha uma bolsa de estudos na universidade dos seus sonhos ou o fato de sua mãe adotiva estar no hospital há meses não ajudam em nada.
Cartas que escrevi antes de você apresenta uma narrativa tocante e precisa de como muitos adolescentes se sentem ao planejar o futuro enquanto ainda têm dúvidas sobre o passado. Ao explorar de forma comovente os diversos significados da palavra “família”, Cynthia Hand nos conta uma história emocionante sobre uma jovem que — como todos nós — busca seu lugar no mundo.”

por William Peter Blatty

Um clássico do terror com mais de 13 milhões de exemplares vendidos. Uma obra que mudou a cultura pop para sempre, O exorcista é o livro que deu origem ao maior filme de terror do século XX. Quatro décadas após chocar o mundo inteiro, a obra-prima de William Peter Blatty permanece uma metáfora moderna do combate entre o sagrado e o profano, em um dos romances mais macabros já escritos.. O mal assume várias formas. Seja com monstros, fantasmas ou demônios, tanto a literatura quanto o cinema sempre foram bem-sucedidos em representar a essência do nosso lado mais reprovável. O exorcista, no entanto, conseguiu superar qualquer outra obra do gênero. Inspirado no caso real do exorcismo de um adolescente, o escritor William Peter Blatty publicou em 1971 a perturbadora história de Chris MacNeil, uma atriz que sofre com inesperadas mudanças no comportamento da filha de 11 anos, Regan. Quando todos os esforços da ciência para descobrir o que há de errado com a menina falham e uma personalidade demoníaca parece vir à tona, Chris busca a ajuda da Igreja para tentar livrar a filha do que parece ser um raro caso de possessão. Cabe a Damien Karras, um padre da universidade de Georgetown, salvar a alma de Regan e ao mesmo tempo tentar restabelecer a própria fé, abalada desde a morte da mãe. Neste livro, Blatty conseguiu dar ao demônio a sua face mais revoltante: a corrupção de uma alma inocente. A menina Regan é, ao mesmo tempo, o mal e sua vítima. Ela recebe a pena e a revolta de leitores e espectadores em doses equivalentes e, mesmo quarenta anos depois, seu sofrimento e o abismo entre o que ela era e o que se torna continuam nos atormentando a cada página, a cada cena. Um clássico do terror que se mantém atual como somente os grandes nomes do gênero poderiam criar, O exorcista não se trata apenas de uma simples história sobre o bem contra o mal, ou sobre Deus contra o Demônio, mas também sobre a renovação da fé..